Rua Padre Marchetti, 596 - Ipiranga, São Paulo - SP

(11) 2063-3955

provinciadobrasil@oblatos.com.br

JUPIC › 11/06/2019

Folhetim – 11 de junho 2019

OBLATOS DE MARIA IMACULADA
MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, PAZ E INTEGRIDADE DA CRIAÇÃO

A DIÁSPORA VENEZUELANA

Afirma a ONU que quatro milhões já fugiram da crise na Venezuela. O êxodo equivale a 12% da população; Colômbia e Peru tem sido os principais destinos. O Brasil recebeu até agora 168 mil venezuelanos. Só nos últimos sete meses um milhão de pessoas deixaram o país; isso equivale a uma média de 5 mil por dia.

O ritmo de saída tem sido impressionante. A severa crise econômica da Venezuela nos últimos cinco anos vem causando escassez de alimentos básicos e medicamentos, enquanto as
hostilidades políticas entre o ditador Nícolas Maduro e seus rivais levam a ondas de violência em protestos nas ruas. 3,2 milhões de crianças precisam de assistência humanitária. As taxas de
mortalidade entre menores de cinco anos dobraram de 14 por 1.000 nascidos vivos em 2010/11 para 31 por 1.000 nascidos vivos em 2017.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância tem fornecido 55 toneladas de suprimentos de saúde a 25 hospitais em Caracas e a outras regiões, incluindo antibióticos contra a malária. A ONU prevê que mais de 5 milhões terão deixado o país até o fim do ano.

LUTAS HISTÓRICAS NO BRASIL

1. Abolição da escravatura em 1888 – O movimento abolicionista foi a primeira grande causa nacional, levando multidões a comícios. Diz Machado de Assis que 13 de maio de 1888 foi dia de delírio público; o escritor desfilou em carruagem aberta e participou da Missa campal que celebrou a Abolição.

2. Sufragismo (1917) – O Partido Republicano Feminino foi pioneiro pela extensão do direito ao voto das mulheres. A primeira eleição em que as mulheres votaram foi a de 1933.

3. Revoada das Galinhas Verdes (1934) – A Ação Integralista Brasileira (Plínio Salgado) jamais teve a força do fascismo italiano, movimento que a inspirou. Em outubro de 1934, os integralistas, com camisas verdes (os italianos usavam camisa preta), tentaram mostrar força de organização em marcha na Praça da Sé, em São Paulo. Foram escorraçados da praça por anarquistas e
comunistas.

4. Marcha da Família com Deus pela Liberdade (1964) – Organizado pelo deputado federal Cunha Bueno, a marcha tomou o centro de São Paulo em 19 de março; foi uma resposta
ao Comício da Central do Brasil, no Rio de Janeiro, seis dias antes, no qual o presidente João Goulart elevou o tom de retórica esquerdista. Deu sustentação ao golpe que o deporia em 31
de março. A ditadura, por sua vez, também foi combatida por multidões nas ruas; o evento mais famoso foi a Passeata dos Cem Mil, no Rio, em 1968.

PARTIDOS FRACOS ABREM ESPAÇO PARA NOVOS BOLSONAROS

O Brasil não tem uma tradição de partidos fortes. O PSDB tinha uma reputação nacional, mas nunca foi muito coeso nem teve grande número de apoiadores. O PT conseguiu ser um partido grande, com muitos seguidores. Fez um trabalho melhor, mas parou de fazer um bom trabalho. O que sobrou do partido?

Basicamente, pessoas no Nordeste, beneficiárias do Bolsa Família. Governar é fazer acordos, adotar medidas não populares. Na oposição pode-se ser “purista”; no governo não há saída senão buscar coalizões que dependem de muito dinheiro e entrega de cargos com grande potencial de corrupção pelo país afora.

Envie suas observações a este folhetim – junho 2019

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.