Rua Padre Marchetti, 596 - Ipiranga, São Paulo - SP

(11) 2063-3955

provinciadobrasil@oblatos.com.br

JUPIC › 16/07/2019

Folhetim – 16 de julho de 2019

OBLATOS DE MARIA IMACULADA
MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, PAZ E INTEGRIDADE DA CRIAÇÃO

AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS SÃO UM PROBLEMA GLOBAL COM GRAVES IMPLICAÇÕES
AMBIENTAIS, SOCIAIS, ECONÔMICAS, DISTRIBUTIVAS E POLÍTICAS, CONSTITUINDO
UM DOS PRINCIPAIS DESAFIOS PARA A HUMANIDADE – LAUDATO SI, 25

VENEZUELA

Afirma a ONU que o país contabiliza até agora 5.287 pessoas executadas pelas “Forças de Ações Especiais”, a “Gestapo venezuelana”.

Não se sabe quantas pessoas morrem ou morreram de fome, doença e falta de medicamentos; sabe-se que nos primeiros quatro meses deste ano, 1.557 morreram ou foram “desaparecidos”. Outro grave problema é a falta de gasolina; isso resulta do embargo econômico imposto pelos Estados Unidos o que se traduz pela impossibilidade do país exportar o produto; hortaliças e verduras apodrecem por toda parte.

O país é um enorme lixão. A crise no combustível se agrava quando os Estados Unidos vetaram a exportação de diluentes para a Venezuela; o país não consegue refinar o petróleo que produz, o que causa racionamento. A falta de combustível é o último desdobramento dos seis anos de governo do presidente Nicolás Maduro, cujas políticas de controle de preços, restrição de acesso a dólares e sanções ao setor privado reduziram drasticamente a produtividade da indústria e da agricultura no país.

BRASIL 1

Trabalhadores Rurais. De 1979 a 1985, 213 assalariados rurais e extrativistas foram mortos ou “desaparecidos”.

Cerca de 1.200 camponeses e seus apoiadores foram mortos ou “desaparecidos”, o que resulta na seguinte porcentagem: 77% de lideranças de lutas coletivas; 12% de sindicalistas; 2,33% de advogados; e 1,17% de religiosos.

BRASIL 2

A recessão econômica, o desemprego, o crime organizado, as invasões de propriedades produtivas, o aparelhamento do Estado, a desenfreada corrupção, a compra de votos, o “toma lá dá cá” no Legislativo, a inoperância do Judiciário despertaram na sociedade civil sentimento de indignação que se transforma em crescente movimento pela volta dos militares para que ponham ordem no país; daí o grande número de militares nas esferas federais do atual governo.

BRASIL 3

Dados da ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostram que nos últimos 12 meses, 1,6 milhão de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de espancamento, enquanto 22 milhões (37%) de brasileiras passaram por algum tipo de assédio.

Mais da metade das mulheres (52%) não denunciou o agressor ou procurou ajuda. Há ainda a violência sexual que em 2017 registrou 60.018 estupros no país, um aumento de 8,4% em relação a 2016.

BRASIL 4

Atentos e sensíveis às demandas do ambiente e dos habitantes da grande Amazônia, os bispos da América Latina já se pronunciaram em diversas ocasiões sobre os riscos de uma relação predatória com a natureza.

Em 2007 os representantes das conferências episcopais da América Latina e Caribe, em reunião com a presença do Papa Bento 16 em Aparecida, SP, apontaram uma série de problemas na Amazônia: invasão e usurpação de áreas indígenas e de outras populações originárias, desaparecimento de suas culturas, urbanização acelerada e pauperização do povo, violências de todo tipo, desmatamento e depredação irracional.

Envie suas observações a este folhetim – julho – 2019

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.