Rua Padre Marchetti, 596 - Ipiranga, São Paulo - SP

(11) 2063-3955

provinciadobrasil@oblatos.com.br

Notícias dos Oblatos › 13/05/2021

Maio: Mês de Maria

O mês de maio deve continuar sempre mais expressivo e significativo para a própria liturgia e para o mistério que celebra. Não se pode tirar essa prática de fé do nosso povo marcadamente mariano, até porque, não se pode falar da encarnação de Jesus que revela e ao mesmo tempo é revelador da vontade salvífica da Comunidade Trina; sem falarmos de Maria que foi a cooperadora do projeto salvífico de Deus para a humanidade. Isso a fez a Mulher de todas as gerações! Com vários títulos:  Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora de Nazaré, de Lourdes, das Neves e Nossa Senhora de Fátima! Todas são a mesma, ou seja, a Mãe de Deus! Nossa Senhora de Fátima, a qual iremos meditar um pouco sobre a Mãe de Portugal.

Tudo começou quando as crianças: Lúcia de Jesus, Francisco e Jacinta com 10, 9 e 7 anos de idade, respectivamente foram apascentar um pequeno rebanho de ovelhas na freguesia de Cova da Iria, em Fátima, Portugal. Por volta do meio-dia, os três resolveram parar para rezar o terço no lugar onde construíram para brincar uma pequena casa de pedras. Após recitarem 50 ave-marias nas contas do rosário, viram uma grande luz e pensaram que era um relâmpago. Assustados resolveram ir embora, mas o clarão surgiu outra vez revelando uma mulher, de cujas mãos pendiam um terço branco. “Não tenhais medo! Eu não vos faço mal!” “Eu sou Maria.” Falou a Senhora de Fátima aos pastorinhos e disse-lhes que vinha do céu. Nossa Senhora de Fátima se despediu dos pastorinhos dizendo-lhes: “Rezem o Terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra.”

Vale lembrar que o mundo vivia os piores horrores da Primeira Guerra Mundial, que parecia não ter fim; e o Papa bento XV, no dia 05 de maio de 1917, pediu a intervenção da Virgem Maria e convocou todos os fiéis a se unirem em oração pela paz das nações. Nossa senhora respondeu logo, no dia 13 de maio, aparecendo àqueles três humildes pastorinhos portugueses, em Fátima. Nossa Senhora foi, neste mundo, a alma que mais intensamente soube acolher, viver e compartilhar a paz que o Salvador sempre nos desejou. No início, ninguém acreditou, todos riram dos três pastorinhos no povoado, e o pároco local lhes fez sérias advertências. Entretanto, as aparições e as mensagens de Maria continuaram mensalmente, e as crianças iam acompanhadas por parentes e pelo pároco. No final, havia uma multidão, que incluía clérigos, religiosos de várias congregações, cientistas, jornalistas, fiéis e curiosos ateus. Mas Deus sempre se utiliza dos humildes, dos pequenos para nos ensinar que Ele prefere os simples, humildes e inocentes para revelar a sua extraordinária Graça!

A última aparição foi em 13 de maio de outubro de 1917, um dia de muita chuva. Próximo à Cova da Iria, se reuniram cerca de 70 mil pessoas, para presenciar um milagre anunciado pela Virgem aos três pastorinhos visionários. Pouco depois do meio-dia, Maria apareceu a eles e lhes transmitiu as três mensagens sobre o futuro. Nesse momento o sol surgiu e começou a girar em direção às pessoas, como uma bola de fogo que cairia sobre elas. As pessoas gritaram, pedindo perdão pelos pecados, e se jogaram no chão molhado. Nesse instante, o milagre fez parar o sol, que reassumiu o seu lugar normal, brilhando como sempre. Ao se levantarem, todos perceberam que suas roupas estavam secas e limpas. Nessa ocasião, muitos milagres de cura se verificaram. É perceptível que Maria se torna uma protagonista do Pai das Misericórdias na História da Salvação. Maria não foi instrumento meramente passivo nas mãos de Deus, mas cooperou para a salvação do mundo com fé e obediência livre. Todo processo da salvação completa-se com a ressurreição e a descida do Espírito Santo no dia de Pentecostes, em que Maria junto com os apóstolos se encontraram em oração e expectativa. Depois da ascensão de Jesus, terminando o curso de sua vida terrena, Maria é plenificada em Deus com a assunção gloriosa aos céus. Isso porque Maria se consagra totalmente à pessoa e à obra de seu Filho como Serva do Senhor. Daí, a ação de Maria e a ação do Espírito Santo se misturam para produzirem juntas uma manifestação histórica. Maria olha para os humildes porque se sentiu olhada na sua humilhação e olha para os famintos porque sentiu fome do pão de cada dia e do Pão que sacia para sempre. Maria é a mulher solidária ao sofrimento e ao abandono de seu Filho Jesus na Cruz; e para com os crucificados de hoje pelas tantas injustiças e desigualdade de uma sociedade adoecida pelo poder, o ter e o prazer!

É desse modo, que Maria, com o título de Nossa Senhora de Fátima se revela como exemplo para as mulheres e homens que não aceitam passivamente as circunstâncias adversas da vida pessoal e social, nem aceitam serem vítimas da alienação, mas se dispõem a proclamar com Ela o Deus eleva os humildes e derruba os poderosos de seus tronos! Foi isso que ela fez e continua fazendo com sua intercessão para com a humanidade. Nossa Senhora de Fátima é celebrada no dia do aniversário de sua aparição, em 13 de maio. O Santuário de Fátima é visitado o ano todo por milhões de peregrinos e devotos marianos, vindo dos cinco continente. Indico a você leitor, devoto de Nossa Senhora a assistir os filmes: FÁTIMA, O ÚLTIMO MISTÉRIO e TERRA DE MARIA. Não esqueçamos: Tudo por Jesus! Nada sem Maria! Que Nossa Senhora de Fátima continue nos ensinando a sermos todo de Deus e que possamos sempre escutar através de sua doce voz: “Fazei tudo o que o meu Filho vos disser!”. Um feliz e iluminado mês de maio acompanhado pela intercessão de Nossa Senhora de Fátima! Graça e paz!

Pe. Kleber Farias, OMI

 

Oração pelas Mães

Mãe, não escondas teu rosto!

És a única sombra do meu chão banhado de sol, a única flor do meu chão sem raízes, a única fonte do meu chão estorricado. Mãe querida, basta a tua lembrança, o teu perfume para encher a solidão da minha vida. Mãe, eu não quero nada. Vim apenas te ver, pois tu és a acendedora de luzes nos caminhos de desesperanças pela escuridão dos corações em desespero e desalentados. Mãe contigo não tenho cerimônia, porque sou o teu filho e és minha mãe. Contigo Mãe, toco a ponta do céu e o amor de Deus que está entrelaçado em nós. Me perdoa Mãe, pelas vezes que te feri, te ignorei e te fiz sofrer com minhas escolhas! Obrigado, Mãe, por tua ternura e bondade. Sei que muitas vezes fiz de tua vida um vale de lágrimas, e mesmo assim nunca me deixasse de amar e de me olhar com perdão e misericórdia. Mãe, sei quantas renuncias fizesse para permanecer comigo, quantas noites em claros, quantas chegadas e partidas tendo sempre a motivação de um abraço repleto de amor de mãe! Deixaste de sonhar os teus sonhos para acompanhar os meus. Ah Mãe, se eu pudesse voltar no tempo e reescrever algumas páginas da minha vida de filho teu… Eu não faria o teu coração sofrer, mas ainda há tempo e é agora Mãe! Por isso, me decido Mãe a ser sinal desse imenso amor de Mãe que tens por mim. Eu sei que darias a vida por mim, para que tua vida seguisse pulsando em mim. Eu quero continuar sendo extensão de ti Mãe, você estando aqui, estando longe, ou lá na morada dos anjos! Isso porque você é um anjo que caiu do céu! E tudo isso, porque eu quero te dizer que te amo e sempre irei te amar Mãe! Amém!!

Um Feliz e Abençoado Dia das Mães!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.