Rua Padre Marchetti, 596 - Ipiranga, São Paulo - SP

(11) 2063-3955

provinciadobrasil@oblatos.com.br

Artigos › 03/03/2021

Talvez você não saiba, mas um milagre já abençoou a sua vida

Deixe-me contar a você um milagre que experimentei e a profunda gratidão que ele inspirou desde então.

A história começa com a longa recuperação de minha mãe depois de um grave acidente de carro. Ela ficou presa à cama por muito tempo e seus músculos atrofiaram. Durante as semanas de fisioterapia que se seguiram, ela permaneceu na cadeira de rodas, enquanto lutava para recuperar sua força e mobilidade.

Certa tarde, observei uma fisioterapeuta enrolar a cadeira de rodas da minha mãe entre um conjunto de barras paralelas, travar as rodas, agachar-se e dirigir-se a ela, dizendo: “Sra. Lowney, quero que  se levante da cadeira de rodas com as duas mãos, levante-se e agarre-se nessas barras para se apoiar, OK?”

Eu já tinha visto isso antes, e o momento sempre terminava em fracasso. Eu me reconciliei com o desânimo que estava por vir. A dúvida cruzou o rosto da minha mãe. Ela se ergueu alguns centímetros e depois voltou a se abaixar.

Mas foi mais longe do que ela tinha conseguido em tentativas fúteis nas últimas duas semanas, e sua expressão mudou de preocupação para concentração. Ela se recompôs para um segundo esforço.

E ela subiu. Ela se levantou da cadeira como alguns bilhões de nós fazem todos os dias. Ela ficou insegura por alguns segundos e olhou em volta, observando o mundo de uma perspectiva que ela não gostava por mais de dois meses. Então ela caiu de volta, exausta. Ela exalou de alívio e satisfação, e deu ao fisioterapeuta um fraco high five.

Isso, é claro, não foi um milagre. Isso é o que uma excelente  reabilitação pode realizar quando composta por fisioterapeutas dedicados e cuidadores de apoio.

História de um milagre

Conforme as pernas da minha mãe se fortaleciam, meus olhos se abriram para algo incrível. Perto do meu prédio estão seis lances de escada de concreto que eu descia todos os dias da minha vida, pensando no trabalho, no clima ou em mil outras coisas além dos meus passos.

Mas durante a recuperação de minha mãe, eu pensei sobre meus passos. Uma ou duas vezes, desci as mesmas escadas devagar e com gratidão, saboreando a maravilha de poder caminhar. Tentei imaginar que sinfonia intrincadamente coordenada de osso, articulação, cérebro e músculo estava ocorrendo em cada etapa.

Naquela época, uma amiga cujos pais era idosos e enfermos chamou minha atenção para outra maravilha. Certa manhã, depois de ajudar seu pai enfermo a calçar as meias e os sapatos, ela ficou maravilhada com algo incrível: de pé, conseguia se curvar, manter o equilíbrio e amarrar os sapatos.

Entendo; estes não são “milagres” no sentido estrito: a ciência pode explicar todos eles. Mas abrir meus olhos para todas as bênçãos de que desfruto foi, para mim, um pouco milagroso.

A gratidão

Muitos de nós podem andar, abotoar as próprias camisas, ficar de pé sem ajuda depois de se sentar em cadeiras, ler um jornal, ouvir o canto dos pássaros e notar os padrões de nuvens no céu. Não deveríamos nos sentir profundamente gratos por essas bênçãos extraordinárias, mesmo que elas aconteçam diariamente?

Pense da seguinte maneira: se você encontrar uma vaga conveniente em um estacionamento lotado de shopping em um dia de pressa, aposto que ficará grato. Mas você não deveria ser muito mais grato por ser saudável o suficiente para dirigir um carro?

A gratidão é fundamental para a maioria das tradições religiosas e práticas espirituais. Os cristãos, por exemplo, são exortados a “alegrar-se sempre, orar sem cessar, dar graças em todas as circunstâncias.”  E aqueles na tradição judaica são encorajados a “dar graças ao Senhor porque ele é bom, sua misericórdia dura para sempre.”

Ao pensar em tudo o que tenho e em tudo que recebi, tenho certeza de uma coisa: não fui grata o suficiente. Provavelmente, você também não. Portanto, não espere por momentos extraordinários para lembrá-lo das formas comuns e múltiplas em que você é abençoado. Seja grato agora, amanhã, todas as manhãs e todas as noites.

Fonte: Aleteia

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.